top of page
Buscar
  • Foto do escritorRodrigo Calado

Para quem está indicada a Cirurgia Ortognática?

A cirurgia ortognática é um procedimento cirúrgico realizado sob anestesia geral, utilizado para corrigir irregularidades na estrutura facial, especialmente aquelas relacionadas à mandíbula e maxila. Existem algumas indicações principais para esse tipo de cirurgia:

 

Mordida Incorreta: quando a mandíbula e a maxila não se alinham corretamente, havendo uma discrepância entre o tamanho dos ossos. Normalmente, isto é causado para um excesso de crescimento de um dos ossos, ou o contrário, com uma ausência de desenvolvimento adequado da maxila e/ou mandíbula. causando alterações na mordida, na função mastigatória, na fonação, na respiração e até mesmo disfunções psicológicas em virtude da grande alteração da simetria facial, como veremos mais adiante.

 

Desproporções Faciais: estas são, sem dúvida, as maiores queixas da maior parte dos pacientes. A ausência de proporção entre os ossos da face pode gerar doenças funcionais, especialmente vinculadas à mastigação e respiração.  No entanto, a insatisfação estética está presente frequentemente por não haver simetria entre os ossos da face causando aspectos diferentes do que é mais comum na sociedade. Este quadro constantemente está vinculado à diminuição de autoestima dos pacientes e do seu desempenho na sociedade.

 

Problemas Respiratórios: em alguns casos, a cirurgia ortognática pode ser recomendada para pacientes com apneia obstrutiva do sono, especialmente quando associada a uma má formação craniofacial. Os quadros típicos de pacientes com roncos intensos e apneias obstrutivas do sono são daqueles que possuem a mandíbula pouco desenvolvida, com o posicionamento de todo o tecido mandibular para região posterior, inclusive o queixo. Esta diminuição de projeção óssea faz com que toda a musculatura da região da língua se posicione mais posteriormente também, causando interrupção do fluxo de ar quando o paciente se deita, o que é chamado de apneia.

Outros quadros de deformidade também podem levar à problemas respiratórios, como a maxila atrésica (fechada), com palato (céu da boca) em forma de cúpula de igreja, diminuindo a passagem de ar pelo nariz.

 

Disfunções na Articulação Temporomandibular (ATM): a ausência de proporcionalidade de crescimento dos ossos da face, comumente gera problemas no encaixe dos dentes, causando os mais variados problemas de mastigação. Como a ATM faz parte do conjunto de estruturas responsáveis pelos movimentos mastigatórios, em algumas situações pode haver doença articular associada à deformidade. A dor em face irradiada para a cabeça em forma de cefaléias constantes é um dos fatores que fazem com que muitos pacientes procurem inúmeros profissionais da área médica (neurologista, otorrino, médico da dor) antes de procurar um profissional especialista na região maxilofacial. Em certos casos, a cirurgia ortognática pode ajudar a corrigir problemas na articulação que causam dor e disfunção na ATM.

 

Estética Facial: como observado anteriormente, em algumas situações, a cirurgia ortognática pode gerar a melhora da estética facial, corrigindo proporções e simetrias. No entanto, este não é objetivo primordial da cirurgia, que visa ganhos de função como mastigação, respiração, fonação e equilíbrio do sistema estomatognático. Mas há que se esclarecer que, à medida que se corrige as assimetrias e deformidades ósseas, existe um aprimoramento estético associado na maior parte dos casos.

 

Tratamento Ortodôntico Conjunto: quase em 100% dos casos, a cirurgia ortognática é feita em conjunto com um tratamento ortodôntico. Os aparelhos ortodônticos ajudam a preparar os dentes para a cirurgia e a garantir um resultado estável e funcional. Quase nunca o tratamento ortodôntico somente é o mais indicado aos pacientes com deformidade dento-facial, pois o problema não está na posição óssea nos dentes, mas sim na relação entre as bases ósseas (maxila e mandíbula)

 

Expectativas e Considerações: é importante que o paciente compreenda as expectativas realistas do procedimento, incluindo o período de recuperação e os cuidados pós-operatórios necessários. Da mesma forma que, em algumas deformidades muito severas, existe a necessidade do respeito aos limites biológicos inerentes ao procedimento, e alguns desejos dos pacientes devem ser limitados por estes limites em prol de um resultado funcional.

 

Avaliação Profissional: um cirurgião maxilofacial ou um ortodontista especializado em cirurgia ortognática deve avaliar cuidadosamente o paciente e seus exames para determinar a necessidade e viabilidade da cirurgia. Exames de imagem como tomografia e fotos dos pacientes com análise da relação das estruturas ósseas e dos tecidos moles ajudam no palnejamento antes do início do tratamento orto-cirúrgico.

 

A cirurgia ortognática é um procedimento complexo que exige um planejamento detalhado, geralmente envolvendo uma equipe multidisciplinar de cirurgiões maxilofaciais, ortodontistas e outros profissionais de saúde. Antes de se submeter a esse tipo de procedimento, é fundamental buscar orientação profissional e entender completamente os benefícios, riscos e o processo de recuperação envolvidos.

 

Em mais de 20 anos de atuação na área, creio que um dos pontos fundamentais é que haja uma integração forte entre paciente, cirurgião e ortodontista. Esta relação proporcionará um bom entendimento de todo o tratamento pelo paciente, facilitará sua recuperação e proverá ao cirurgião a possibilidade de conhecimento dos desejos e queixas do paciente.  Antes de falar em operar temos que ter as respostas. Por que operar? Quais serão os benefícios? Quais os riscos? Onde operar? Como será minha recuperação...... entre outros questionamentos. Uma equipe próxima ao paciente poderá dar o suporte necessário para a resposta a todas estas perguntas.

 

Dr. Rodrigo Calado Nunes e Souza

CRM 163814   CRO 63349

Médico e Cirurgião Dentista

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page